img imprensa1

Momento singular na Medicina mundial: ICr faz transplantes hepáticos em três irmãs

ICr faz transplantes hepaticos em tres irmas

Caso excepcional na Medicina mundial, três transplantes de fígado resgataram a saúde de três irmãs: Lindalva, 15 anos; Juliana, 12 anos e Priscila, 10 anos. Pacientes do ICr - Instituto da Criança e do Adolescente do HCFMUSP, elas receberam novos órgãos em cirurgias realizadas entre 2010 e maio deste ano.

As meninas sofriam de doença hereditária (colestase intra-hepática familiar progressiva), que se manifesta na infância, afetando a secreção biliar. Os três transplantes foram realizados pela equipe do Chefe do Serviço de Cirurgia Pediátrica e Transplante Hepático do ICr, Prof. Dr. Uenis Tannuri.

“É uma alegria ver uma família recuperada. Se não fossem os transplantes, elas não teriam sobrevivido” – diz o Professor, que é Titular da Disciplina de Cirurgia Pediátrica e Transplante Hepático da Faculdade de Medicina da USP.

O ICr é pioneiro em transplantes de fígado em crianças e adolescentes. Iniciado em 1989, esse procedimento registra, atualmente, a média anual de 45 cirurgias. Está perto de completar 800 transplantes hepáticos. “A sociedade, de modo geral, não imagina o quanto há de empenho e dedicação de todos na Instituição” – diz o Professor Uenis Tannuri.

Não há, na literatura médica, registro anterior de transplante de fígado em três irmãs com o mesmo diagnóstico de doença hereditária. Elas receberam órgãos de doadores cadavéricos. Como acontece nessas cirurgias de grande complexidade, houve algumas complicações pós-operatórias, mas todas elas revertidas.

Lindalva recebeu o fígado novo em 2010. Estava com oito anos. Depois, em 2016, foi a vez de Juliana, hoje com 12 anos de idade. A terceira irmã, Priscila, atualmente com 10 anos, foi submetida ao transplante em maio deste ano. Ao lado dos pais, Ninivalda e Joelsom, elas seguem a disciplina de medicamentos para transplantados e dieta especial. É uma nova vida oferecida pela avançada Medicina.