img imprensa1

Terapêutica musical alegra e conforta pequenos pacientes no HCFMUSP

terapeutica musical“O grande instrumento do artista é a experiência de vida. Abrir-se para o diálogo e viver as coisas da vida” – diz Anna Dulce Sampaio, terapeuta musical, empenhada no Projeto Música no Hospital. Ela atua, em trabalho voluntário, junto às crianças sob tratamento na Hemodiálise do ICr – Instituto da Criança e do Adolescente e também na Unidade de Terapia Intensiva do ITACI – Instituto de Tratamento do Câncer Infantil.

"Música alegra e distrai na vida dessas crianças". No ITACI, Anna Dulce traz conforto também às famílias de crianças internadas sob cuidados paliativos. Ela atende - com atenção e zelo - pedidos para cânticos de louvor. A mãe faz oração, a criança escuta e juntos promovem o conforto necessário. “Música é isso: é diálogo” – diz Anna Dulce.

Listas temáticas de canções disponibilizadas na rede social do Youtube são acessadas pelos pequenos pacientes por meio de tablets. “Há listas com temas de passarinhos, por exemplo. Mas, a preferida tem sido sobre ‘xixi-cocô-pum’. Música infantil atravessa gerações. ‘Atirei o Pau no Gato”, por exemplo, tem 100 ou 200 anos” - comenta.

Com formação superior em Artes Cênicas pela Escola de Comunicações e Artes da USP – Universidade de São Paulo, especializada em voz e canto, Anna Dulce Sampaio define a educação terapêutica musical: “Não é o aluno que vai aprender. Nós é que aprendemos sobre as necessidades desse aluno. E isso é vital no ambiente hospitalar”.